Se copiar textos, atribua os créditos. Os direitos autorais são protegidos pela lei n°9610/98, violá-los é crime.

domingo, 22 de agosto de 2010

Armas e poemas.


Seria imperceptível se a magnitude natural que a rodeava não a fizesse brilhar, mesmo sem querer. E nesse sem querer querendo, vivia. Cruzando destinos, deixando marcas, desilusões, vírgulas, reticências, interrogações, exclamações, mas nunca o maldito do ponto final, quando na verdade só o que gostaria de evitar, adiar, procrastinar, retardar, seja lá a palavra que eu tenha que usar pra descrever o que ela queria, era isso, nunca um fim, nunca um “foi somente isto”. Pra não ter que se deparar com o clássico: Era uma vez... Opa, cadê o final feliz? Esse era seu desejo... Evitar, adiar, procrastinar, retardar o seu único medo, a decepção.

Uma sensação estranha essa de ser (in)dependente de alguém.

22 comentários:

  1. São essas infindáveis reticências que nos exasperam, enlouquecem..Te entendo quase que por completo, flor! É essa sensação de que vai acabar, e não termina nunca, que vai nos fazendo surpresos, e ainda um pouco atordoados. Mas algum dia, acredito que vamos rumo à um novo parágrafo.
    Beijoca!

    ResponderExcluir
  2. Se a felicidade fosse o fim, seria triste.
    A felicidade é o caminho que seguimos, é a trilha que nos leva.
    Daí a falta de um ponto final. De um determinado acabar. Podemos colocar um ponto numa folha de papel, numa tela, e até no céu. Mas que ponto seria capaz de impedir o eterno transformar da vida, de findar o infinito...?

    Ela brilhará, pois brilha quem existe, quem absorve, e quem reflete luz.

    Um abraço na sua alma!

    ResponderExcluir
  3. pois é... e como se pudessemos evitar algo assim a gente adia ele já o garantindo com mais força.

    é moça faça suas as minhas palavras
    a gente tem uma sintonia boa em nosssas histórias
    tb me identifico demais com coisas que vc escreve.

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Teus texto sempre são lindos. E me identifico com eles. Parabéns!

    Ahh, eu votei hein? Sorte (yn)

    http://anjoslaly.blogspot.com/

    beijos, @lalyanjos

    ResponderExcluir
  5. (...)retardar o seu único medo, a decepção.

    mais um texto perfeito, eu sei como é isso , ahhh sei viu !

    abraço, seu lugar é lindo !

    ResponderExcluir
  6. Reticências são o que me matam também. Eu penso sempre um ponto final, todos os dias, sejam como for. Seja bom ou ruim, eu penso, eu enlouqueço sem saber o fim.
    Muito lindo o texto, como sempre né?
    Beijinhos. :*

    ResponderExcluir
  7. Que lindo esse texto, amo ler as coisas que escreve aqui..
    BeeijOs amr

    ResponderExcluir
  8. deve ser essa a gunia que eu carrego aqui dentro, de nao saber como retrtar tudo isso, ou a menos saber, mas nao conseguir expressar o que eu quero, e creio que nao sem senssação melhor essa de se (in)dependente de alguem..

    muito lindo, tudo o que disse, em poucas palavras sensiveis e verdadeiras!

    ResponderExcluir
  9. Não sabe o quanto fiquei feliz com a visita em meu blog, venho aqui agradecer! (:
    Escrevi uma vez "não aguento mais essa reticências, quero um ponto final em minhas histórias". Ás vezes um fim concreto é tudo que queremos, mas daí vem o medo e abala tudo.
    Parabéns! Beijos :*

    ResponderExcluir
  10. É ruim colocar pontos finais antes que os finais felizes tenham a chance de acontecer...

    ResponderExcluir
  11. Sempre teremos medo de alguma coisa. Não nos decepcionamos quando aprendemos a tirar a nossa felicidade das mãos dos outros,inclusive das nossas,uma hora ou outra nos decepcionaremos, isso é fato, é imutável,o que podemos mudar e a forma como vemos e reagimos aos fatos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Teus textos sempre surpreendentes... e se virar um livro? O primeiro exemplar sera meu! :)
    Tenha uma semana cheia de sorrisos espalhados e recebidos, estrelas (cadentes) e brilhantes iluminando teus passos, e flores, de muitas cores, enfeitando teus dias.

    Abraco meu!

    ResponderExcluir
  13. Ai Meu Deus
    como pode alguém conseguir explicar as mesmas coisas que eu não consigo?
    Adorando o seu blog, sério.
    ´*-*
    mt lindo mesmo!

    é claro que eu não consigo, mas sei lá...

    http://sonhadoraabark.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. "retardar o seu único medo, a decepção."
    De verdade, não tenho palavras. Tão lindo, tão eu, de uma forma que eu não saberia expressar. Perfeito Lari!

    Votei! Sem dúvidas, "este blog pode virar livro".

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  15. Pois é, fugimos o tempo todo da decepção.
    Fugimos, tentamos, mas ela de alguma forma parece ter uma perseguição chata com certas pessoas.
    Também tento retardar esse medo. Mas é certo um dia a gente encontra o tal do final feliz, ou pelo menos um bom e duradouro momento feliz.

    lindo texto Lari.

    bj!

    ResponderExcluir
  16. Muito lindo,
    Uma sensação estranha essa de ser (in)dependente de alguém. - é, e que sensação .

    http://lelyanjos.blogspot.com/

    Estou te seguindo flor,
    beijos, @leeti_anjos :*

    ResponderExcluir
  17. me identifiquei muuito!
    até porque, como sou muit ansiosa, não suporto os temíveis três pontinhos...
    votei em você par o prêmio, e sinceramente espero que ganhe! porque realemnte adoro seu blog, seus posts são incríveis! *-*
    boa sorte, guria!

    beijão

    ResponderExcluir
  18. Quanto mais for adiado o fim, mais chances temos de viver, reviver, aprender e sentir coisas que jamais saberíamos que existia se o fim estivesse, realmente, chegado.
    Lindo texto, lindo blog!

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  19. 'cruzando destinos...'
    eu sempre me senti assim.

    Seu blog é maravilhoso!

    ResponderExcluir