Se copiar textos, atribua os créditos. Os direitos autorais são protegidos pela lei n°9610/98, violá-los é crime.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

(...)

















E então ele disse:
- Eu sou o cara mais sortudo do mundo.

Risos.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Foi então que eu percebi que aquele era o amor da minha vida. Desta e de muitas outras.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Shii (...)

Se tu és, és por ser e és feliz e completa por isso, ou não. Quem se auto afirma o tempo inteiro, via de regra muito teme. Não precisa ficar ratificando felicidade, tristeza, decepção ou whatever aqui ou onde quer que seja. A vida é muito mais que isso, MUITO mais. Sentimento só não é cego e principalmente não é surdo, mas é mudo. Baixinho. 

domingo, 23 de dezembro de 2012

"Às vezes é necessário optar por afastar-se de quem queremos bem, quando não há uma saída melhor. Mas quando a gente achar que algo possa ter mudado, a gente volta. Pode ser que não encontramos as mesmas pessoas quando voltarmos, mas acredito que é melhor arriscar assim, do que perde-los em pior situações: ficando aqui."


Autor desconhecido.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Nade.


Queria saber escrever sobre coisas menos clichês, sobre sentimentos menos passados, pessoas novas, atitudes diferentes, pensamentos inusitados. Mas aí… Ao olhar no espelho e deparar-me com a imagem ali refletida, dei por conta de que não existe nada melhor do que sentir orgulho, orgulho de si mesma. Saber que seus pensamentos ultrapassados, conservadores e por muitos considerados bitolados, são puros. Saber que a sua beleza é mais do que uma bunda e dois peitos. Saber que quando alguém precisa de alguém, é pra você que liga e é com as suas palavras de amparo que conta.  Escutar que seu abraço conforta, que até seu silêncio satisfaz. Poder sentir-se querido e bem-vindo nos lugares e perceber que com o tempo – esse é rei –, perceber que com o tempo, você passa a atrair pessoas exatamente assim pra perto, e tudo e todos que vão ficando é aquilo e aqueles que alcançaram um grau mais profundo e significativo, seja no sentido que for. Perceber que as coisas demoram muito mais pra machucar, não porque você se tornou frio, mas porque cresceu e está forte. Porque aprendeu qual é o real significado da palavra valor, e conjuga o verbo dar direitinho em se tratando de família, amigos e felicidade. Porque a vida vai te mostrar que o importante não é o quão forte você bate, mas sim, quanta porrada você aguenta. Vai te ensinar o significado de respeitar pai e mãe, mesmo que você não os tenha. Que amigos mesmo, de verdade, você conta nos dedos, e não enche uma mão. Que amizade é uma via de mão dupla. Que algumas raras pessoas fariam por você aquilo que você espera que alguém faça por você. Que felicidade não é roupa de marca e tênis do momento, taças de champagne e alguns beijos sem significado, felicidade é se amar por dentro, se sentir amado e saber corresponder, que felicidade é mais do que carne. Felicidade é não mentir. Mentira é uma felicidade instantânea, que vai doer muito mais depois. Que felicidade mais do que isso é olhar pra trás e se sentir bem pelo o que foi vivido, olhar pro agora e sentir orgulho, olhar pra frente e sentir coragem, coragem para acima de qualquer coisa saber seguir, seguir em frente é a ordem, e isso é esperançosamente lindo, por mais que as coisas mudem, o importante é você não mudar e se mudar, que faça para melhor.


“Só peixe morto vai a favor da correnteza.”

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Não tá fácil pra ninguém, eu sei.



Fazendo uma coisa hoje que a muito muito tempo não fazia: traduzindo sentimentos em palavras. Devia estar acostumada já, sempre quando o mar de dentro se mostra agitado, já aviso: ondas fortes navegantes, bandeira vermelha! Antes de transbordar, é hora de escrever. Sempre tive isso, mania de tentar parecer forte e não encomodada com certas situações, besteira menosprezar aquilo que eu sinto, como se os outros fossem mais importantes e sentissem mais verdadeiramente as coisas do que eu, besteira bobeira. Ou apenas, vergonha. Não de demonstrar, mas de parecer b o b a. Falei. É que é dificil falar, mostrar, demonstrar, desmascarar as coisas assim, sem saber a reação das outras pessoas. Um eu te amo precipitado; Você é o melhor amigo do mundo; A melhor mãe do mundo; O melhor pai do mundo; Um irmão como poucos; É difícil falar. Eu S I N T O a tua falta. Eu S I N T O saudade. Dos beijos, do cheiro, dos abraços, da voz, das risadas, das mãos, dos olhos, da boca, até das brigas. Saudade de situações. S A U D A D E! Em letras maiusculas, negrito e sublinhado, com exclamação no final – de intensidade –, e saudade é aquele sentimento que a gente só confessa assim, escancaradamente, pra’quela poça de lagrimas que se forma no travesseiro, antes de dormir. Mas saudade também, acima de tudo, é um olhar pela janela e perceber que a vida segue, vida-louca-vida como diria Cazuza. Sinal de que aquilo que foi vivido valeu a pena, e marcou. Saudade é aquela vontade de querer de volta, de querer por perto, ontem, hoje, amanhã e sempre. Normal é sentir falta daquilo que foi bom, anormal é não sentir nada. Saudade.

domingo, 4 de março de 2012

Fácil falar.


Antes de deixar de dar um passo à frente, antes de desistir de fazer algo que quer, por medo do que os outros vão achar-pensar-falar, faça uma pergunta a si mesmo: “- Quais são as opiniões que importam pra mim?” E as considere, considere tão e somente estas opiniões, as opiniões de quem realmente se importa com você, e de quem realmente importa a você. É só isso que você tem que considerar. Não decepcionar as pessoas que se importam com você, e não decepcionar a você mesmo. É como diz aquele velho ditado: “Acerte noventa e nove vezes e você não vai escutar um elogio, erre uma única vez, e receba mil condenações.” E você vai ficar triste com isso, porque as pessoas realmente falam, as pessoas realmente julgam, e as pessoas realmente condenam, e muito. Pregando moral de cueca, mas elas fazem, porque enxergar o próprio umbigo é deveras trabalhoso, e exige certo esforço, então elas falam, falam, falam dos outros, porque exercer auto-crítica nesses casos deve ser insuportavelmente doloroso. Então o que eles fazem? Falam, julgam e condenam. Sem saber sob quais circunstancias agimos, sem saber se temos alguma razão pra agir como agimos. Julgar é fácil e vejam bem, de graça. E ainda machuca. Por isso é sempre bom acreditar, confiar e se importar primeiro com nós mesmos e em nós mesmos, o resto (salvo raras exceções, e cada um tem as suas) é resto.


“Não digo que todo mundo deva fazer a mesma coisa, e que isso é o certo. Na minha cabeça, certo é tudo aquilo que dá prazer da gente fazer.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Maior.


As pessoas falham ao pensar que só porque não estamos o tempo inteiro rindo, é porque não estamos felizes. Também falham ao pensar que só porque não estamos chorando desesperadamente, não estamos tristes. E falham mais uma vez ao pensar que só porque não falamos o tempo todo sobre o quanto gostamos, o quanto sentimos saudades, o quanto pensamos e o quanto lembramos, não sentimos.


Quem muito fala, pouco sabe, pouco faz e via de regra pouco sente.

domingo, 18 de dezembro de 2011

_



"Não existe razão no mundo porque eu devesse ficar sem ela. Não existe nada mais importante do que o nosso relacionamento, nada. E nós curtimos estar juntos o tempo todo. Nós dois poderíamos sobreviver separados, mas pra quê? Eu não vou sacrificar o amor, o verdadeiro amor, por nenhuma piranha, nenhum amigo e nenhum negócio, porque no fim você acaba ficando sozinho à noite. Nenhum de nós quer isto, e não adianta encher a cama de transa, isso não funciona. Eu não quero ser um libertino. É como eu digo na música, eu já passei por tudo isso, e nada funciona melhor do que ter alguém que você ame te abraçando." John Lennon.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Mania.


Mania de achar que tudo é aqui e agora, achar que tudo tem hora. Divertido mesmo é andar descompassado, desordenado, sem chegada marcada, sem momento certo, sem estamos combinados, sem o sei como vai ser e como eu vou fazer, surpresa também pode ser bom, surpreendentemente bom. Mania que a gente tem de contar lugares, pessoas, situações, ruins e boas, mania de achar que tudo tem um motivo, e mesmo que não tenha a gente inventa um. Mania de sempre querer saber o porquê, ter as peças na mão, saber qual o próximo passo a ser dado, mania de vitória certa, vitória conquistada pode ser bom, surpreendentemente bom. Derrota também. Mania de achar que não pode mais frequentar lugares, escutar músicas, comparar sorrisos, por medo de lembrar, lembrar pode ser bom, surpreendentemente bom. Veja que irônico matar lembranças, a pior morte que existe é aquela que acontece dentro da gente, e a gente acha que é bom e bonito, e surpreendentemente, não é. Mania de achar que Deus é a solução ou o problema, mania de achar que Deus é solução pra todo problema, Deus não é solução e Deus também não é problema, Deus é amparo, Deus é base, é conjugar o verbo confiança, é confiar. Deus sabe exatamente pra quem sorri. Mania de arrepio, e mania de saudade. De confiar, muitas e muitas vezes. Mania de construir, concomitantemente destruindo. Mania de abraço e cheiro. Mania de palavras ditas e pensadas, mania de escrita. Mania de orgulho e humildade, de silêncio, de sorrisos, lágrimas, amigos, parceiros, de amores, de paixões, as que duram uma eternidade, as que duram três minutos, e as que não duram. Mania de vida. Mania de doar e receber, mania de acima de tudo saber reconhecer e valorizar, pessoas boas e momentos bons. E dentre todas as coisas, mania de lição.

Não importa o que, tudo nessa vida é aprendizado.